Como saber a hora de trocar de HD – Parte 2

Este post foi dividido em duas partes, caso não tenha lido a primeira parte, recomendo começar por ela, acesse a parte 1 pelo link.

Para tentar chegar a essa métrica, utilizei minha experiencia de suporte com problemas do tipo, dados estatísticos dos fabricantes e empresas de armazenamento na nuvem, pode parecer estranho mas os dados da nuvem também estão em Hds físicos, mas de forma replicada, por isso seus dados não vão pro espaço quando algum disco do Dropbox queima :)

Temos do nosso lado um recurso no Hds chamado SMART, acrônimo de (Self-Monitoring, Analysis, and Reporting Technology), que nada mais é do que uma cada de hardware que funciona independente do sistema operacional, que visa utilizar determinas métricas para monitorar e antecipar problemas físicos no disco, são monitorados taxas de erros de gravação, ciclos de inicialização, bad blocks, inclusive a inutilização do setor defeituoso quando possível, mas acabei julgando um atributo como o mais importante, o tempo de horas em funcionamento, onde são contabilizadas em anos, meses, dias exatos que o seu HD esteve ligado, não é quanto tempo você tem o disco, desde quando você comprou, mas sim o tempo em que ficou ligado de fato.

Para chegar nesse ponto de vista eu observei uma pesquisa liberada pela Blackblaze, uma empresa de Cloud que utiliza nada mais nada menos que 25 mil Hds iguais a esses que você possui em casa, só que os deles ficam 24 horas no ar e em um período de 4 anos foram registrados estatisticamente todos as falhas ocorridas e vamos aos resultados: 5% dos Hds falharam no primeiro ano de uso contínuo, esses são os “benditos” problemas de fabricação, que todos nós estamos sujeitos a isso, os outros 95% se manteriam em pleno funcionamento até o terceiro ano de uso contínuo, após isso começam a falhar por motivos diversos e o percentual de falhas só tende a subir com os passar dos anos, no final do quarto ano foram registrados que 26% do total de discos sofreram algum tipo de problema.

Com base nisso comecei a analisar alguns discos que possuo a bastante tempo e nunca deram problema, no meu caso utilizo Ubuntu e verifiquei os dados do smart com uma app que já vem pré-instalado chamado Disks, se você utiliza Windows recomendo a instalação do HDD Health, analisando em específico um HD Samsung de 500GB que comprei em 2009 estava marcando 2 anos e 4 meses de utilização contínua, ou seja mesmo o tendo comprado à 6 anos, ainda não atingi os 3 anos de continuidade que é quando temos que ligar o alerta e já pensar em trocar de Disco.

Outro dado importante liberado pela mesma Blackblaze são as marcas de HD com menor incidência de falha, de longe o melhor é o Hitachi, que obteve a menor taxa de erros, seguido pela WD, a pior no entanto são os Hds da Seagate, que tiveram um índice de erros muito acima dos demais e faço mais uma ressalva em cima dessa marca, nos últimos anos tive diversos clientes com problemas de disco e a grande maioria sempre Seagate.

Após muita pesquisa, chego a conclusão utilizando o HD nas condições ideais conseguimos de maneira geral 3 anos de utilização contínua, lembrando que é apenas uma estimativa, mas dentro desse período podemos ficar um pouco mais tranquilos e não é por isso que deixaremos de fazer nosso backups, ou simplesmente se você tem mais de um computador, deixar os dados mais importantes armazenados em mais de um equipamento e utilizar serviços de nuvem como Dropbox, Google Drive ou One Drive pra manter uma cópia segura de seus dados, obrigado e até a próximo post.



BlackBlaze Blog

HDD Health Download

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resolvendo ERRO 79 nas impressoras HP

10 novidades no update 1809 do Windows 10

Review Impressora Multifuncional HP DeskJet GT série 5820