7 de set de 2015

Como saber a hora de trocar de HD – Parte 2

Este post foi dividido em duas partes, caso não tenha lido a primeira parte, recomendo começar por ela, acesse a parte 1 pelo link.

Para tentar chegar a essa métrica, utilizei minha experiencia de suporte com problemas do tipo, dados estatísticos dos fabricantes e empresas de armazenamento na nuvem, pode parecer estranho mas os dados da nuvem também estão em Hds físicos, mas de forma replicada, por isso seus dados não vão pro espaço quando algum disco do Dropbox queima :)

Temos do nosso lado um recurso no Hds chamado SMART, acrônimo de (Self-Monitoring, Analysis, and Reporting Technology), que nada mais é do que uma cada de hardware que funciona independente do sistema operacional, que visa utilizar determinas métricas para monitorar e antecipar problemas físicos no disco, são monitorados taxas de erros de gravação, ciclos de inicialização, bad blocks, inclusive a inutilização do setor defeituoso quando possível, mas acabei julgando um atributo como o mais importante, o tempo de horas em funcionamento, onde são contabilizadas em anos, meses, dias exatos que o seu HD esteve ligado, não é quanto tempo você tem o disco, desde quando você comprou, mas sim o tempo em que ficou ligado de fato.

Para chegar nesse ponto de vista eu observei uma pesquisa liberada pela Blackblaze, uma empresa de Cloud que utiliza nada mais nada menos que 25 mil Hds iguais a esses que você possui em casa, só que os deles ficam 24 horas no ar e em um período de 4 anos foram registrados estatisticamente todos as falhas ocorridas e vamos aos resultados: 5% dos Hds falharam no primeiro ano de uso contínuo, esses são os “benditos” problemas de fabricação, que todos nós estamos sujeitos a isso, os outros 95% se manteriam em pleno funcionamento até o terceiro ano de uso contínuo, após isso começam a falhar por motivos diversos e o percentual de falhas só tende a subir com os passar dos anos, no final do quarto ano foram registrados que 26% do total de discos sofreram algum tipo de problema.

Com base nisso comecei a analisar alguns discos que possuo a bastante tempo e nunca deram problema, no meu caso utilizo Ubuntu e verifiquei os dados do smart com uma app que já vem pré-instalado chamado Disks, se você utiliza Windows recomendo a instalação do HDD Health, analisando em específico um HD Samsung de 500GB que comprei em 2009 estava marcando 2 anos e 4 meses de utilização contínua, ou seja mesmo o tendo comprado à 6 anos, ainda não atingi os 3 anos de continuidade que é quando temos que ligar o alerta e já pensar em trocar de Disco.

Outro dado importante liberado pela mesma Blackblaze são as marcas de HD com menor incidência de falha, de longe o melhor é o Hitachi, que obteve a menor taxa de erros, seguido pela WD, a pior no entanto são os Hds da Seagate, que tiveram um índice de erros muito acima dos demais e faço mais uma ressalva em cima dessa marca, nos últimos anos tive diversos clientes com problemas de disco e a grande maioria sempre Seagate.

Após muita pesquisa, chego a conclusão utilizando o HD nas condições ideais conseguimos de maneira geral 3 anos de utilização contínua, lembrando que é apenas uma estimativa, mas dentro desse período podemos ficar um pouco mais tranquilos e não é por isso que deixaremos de fazer nosso backups, ou simplesmente se você tem mais de um computador, deixar os dados mais importantes armazenados em mais de um equipamento e utilizar serviços de nuvem como Dropbox, Google Drive ou One Drive pra manter uma cópia segura de seus dados, obrigado e até a próximo post.



BlackBlaze Blog

HDD Health Download

Como saber a hora de trocar de HD – Parte 1

Olá, o post de hoje é sobre um assunto que muita gente se interessa e que é uma dúvida que eu tinha a bastante tempo, mas não tinha parado ainda pra reunir informações pra ter uma opinião formada sobre o assunto, a pergunta é: quanto tempo meu HD vai durar?

Quando comecei a fazer o post não pensei que iria ficar tão extenso, por isso acabei dividindo em duas partes pra facilitar a leitura, a segunda parte será postado juntamente com essa.

Na minha vida de suporte, já tive muitos clientes que perderam absolutamente tudo no seu computador por algum tipo de falha no HD, sempre que dava o diagnóstico ficavam meio abatidos e com razão, pois não é fácil receber a notícia que a sua monografia, fotos do primeiro aniversário do seu filho, festas de fim de ano simplesmente se foram, quando me perguntam se existe alguma forma de recuperar, eu que digo existe um probabilidade com alguma poucas empresas especializadas no ramo que conseguem com mecanismos quase cirúrgicos extrair as informações diretamente dos discos magnéticos, isso dá um pequeno ar de alívio que logo se esvai ao saber o quanto custa tais serviços, que são em sua grande maioria muito caros.

Para tentar entender um pouco sobre a vida útil desses equipamentos, temos que levar em consideração as condições de uso do mesmo, sabe aqueles 4 parafusos chatos que você sempre reclama quando vai mudar o HD de posição e no fim acaba colocando só dois pra facilitar, por mais fixo que o disco aparente estar, o ideal é sempre estar com os 4 parafusos, para evitar o máximo possível de vibração, os HDs trabalham com partes mecânicas que estão em movimento constante e você deve fazer o máximo para reduzir a vibração do disco, outro ponto é que aquele velho tapa de cima pra baixo que damos no PC quando o mesmo trava, fica lento ou não quer iniciar, essa ação normalmente não resolve nada e você pode estar causando danos em diversos componentes do micro, principalmente no HD, quando se tem um notebook é muito bom ter cuidado e não jogá-lo na mochila ou em cima da cama de qualquer forma, pois todo impacto mais forte pode causar danos no disco , outro ponto a ser levado em consideração é a temperatura, se você utiliza mais de dois Hds no seu computador, tente fixá-los com um certa distancia um do outro, pelo menos uma baia de diferença, não recomendo o uso dos coolers de HD, aqueles que são fixados junto ao equipamento, pois geram muita vibração e já vimos que isso não é bom para o disco, a refrigeração é importante, mas deve ser feita de maneira correta, o ideal é criar um sistema de exaustão com coolers fixados no próprio gabinete diminuindo a temperatura de forma geral dentro do micro.

Todos os fatores que citei logo a cima podem determinar o quão longe vai o seu HD, determinados cuidados tem que ser tomados para tentar aumentar ao máximo o bom funcionamento desse componente tão importante do micro, mas isso ainda não responde o meu questionamento do início do post, então vamos partir do pressuposto que eu tenha todas as condições ideias para o seu bom funcionamento, vamos eliminar também os defeitos de fabricação, criando assim o ambiente quase perfeito, e nesse novo ambiente eu refaço a pergunta: Quanto tempo meu HD vai durar?

Acompanhe a continuação na parte 2

5 de set de 2015

DriveDroid e o fim da pasta de CDs

 


O post de hoje é voltado para profissionais de TI e alguns usuários mais avançados que gostam de por a mão na massa, desde que comecei a prestar suporte, ainda na escola de maneira informal e até  bem pouco tempo atrás já como empresa, um utensílio me acompanhava sempre, a boa e velha pasta de CDs.

Nessa pasta ficavam as mídias do Windows, Ubuntu, Office, Hirens Boot, CDs de placa-mãe e normalmente a pasta ficava sempre cheia, apesar que com o passar dos anos com a utilização dos pendrives nas instalações já fez com esse volume diminuísse, mas ainda não poderia ser eliminado, as vezes a instalação do Windows bugava em algum ponto via USB e só ia mesmo utilizando o boot via DVD, até que a mais ou menos um ano instalei um APP no meu smartphone chamado Drivedroid, que foi simplesmente a solução dos meus problemas.

O Drivedroid basicamente emula imagens diretamente no computador como um drive real, você pode por exemplo pegar uma ISO do Windows 7, copiar para o seu cartão SD e através do APP emular sua mídia como um drive real, nas opções de boot na Bios do PC agora irá aparecer o nome do seu dispositivo como um drive de CD/DVD e você já pode optar por inciar com ele. Já venho utilizando esse APP diariamente e foi compatível com todos os modelos de hardware em que testei, fazendo que finalmente me libertasse do peso da bendita pasta de CDs :)

Além de emular imagens ISO ele também é capaz de emular pendrives, você pode por exemplo alocar 1GB do seu micro SD e criar uma unidade USB exclusiva e utilizar como bem entender, no meu caso em particular isso resolveu um grande problema, eu tinha um cliente que utilizava uma versão específica de uma distro linux com um sistema de pdv já embutido, o meio de instalação era apenas USB, sempre que tinha algum problema no meio da instalação o pendrive perdia a partição e eu precisava gerar outro disco, mais uma vez o Drivedroid me salvou, nele eu pude gerar um disco usb exclusivo e montá-lo somente no modo leitura, dessa forma não perdia mais a partição quando ocorriam erros durante o processo.

Como nem tudo são flores, faço apenas uma ressalva ao app, ele requer root, então caso seu Smartphone Android não esteja com root, não vai funcionar, outro ponto é que esta disponível apenas para Android, nada em vista ainda para IOS ou Windows Phone.

Página do Projeto
Página de download na Play Store

Update 1809 é removido por apagar arquivos de usuários

No início desse mês foi lançado o update 1809 do Windows 10, veja os detalhes nesse artigo , mas foi retirado alguns dias depois do lan...